Desequilíbrios hormonais podem alterar o tipo da pele

A transição da infância para a adolescência deixa bem claro o efeito dos hormônios fora de controle no corpo. Muitas pessoas passam pelo período conturbado da puberdade, tendo que lidar com o surgimento de espinhas no rosto. O uso de produtos para pele oleosa é essencial, principalmente para quem sofre de quadros mais sérios, como acne.

Uma vez que os hormônios desempenham função em diversas partes do organismo, é natural que a pele demonstre alguns efeitos deles. Homens e mulheres podem sofrer com desequilíbrio hormonal em diferentes fases da vida. A seguir, você confere o que isso significa na prática.

Hormônios no organismo

Conteúdo do artigo

De forma simples, os hormônios são compostos químicos que ajudam a regular muitas funções essenciais no organismo humano, como metabolismo, crescimento, humor e reprodução. Os mais conhecidos são a testosterona (presente em maior quantidade nos homens) e o estrogênio (presente em maior quantidade nas mulheres).

É normal que, na juventude, o corpo produza mais hormônios. Esse número diminui com o passar do tempo. No caso das mulheres, esse período é conhecido como menopausa e afeta não só a fertilidade, mas a libido, o metabolismo e o psicológico.

O que é desequilíbrio hormonal e quais são as possíveis causas?

A concentração de um hormônio no corpo determina se ele vai regular as funções específicas de forma adequada. No caso de excesso ou falta, o corpo reage em desequilíbrio, podendo gerar: instabilidade de humor, ganho de peso, redução da qualidade de óvulos ou espermatozoides e alteração da aparência da pele.

O desequilíbrio hormonal pode ser natural, como ocorre na adolescência (excesso de hormônios) e na fase madura (baixa de hormônios), ou resultado de alimentação irregular, estresse excessivo, consumo de medicamentos e doenças genéticas.

Efeitos do desequilíbrio hormonal na saúde e na aparência da pele

A pele é o maior órgão do corpo humano, portanto, reflete as alterações hormonais de forma visível. As mulheres estão mais suscetíveis aos desequilíbrios hormonais, em função do ciclo menstrual e da gravidez. É importante ressaltar que a reposição hormonal só deve ser feita por recomendação médica, com base em exames que identificam as causas específicas de cada problema.

Na pele, alguns sintomas costumam ser mais comuns em quem apresenta algum nível de desequilíbrio hormonal. Muitos deles estão presentes na adolescência. Se não forem tratados da forma correta, eles podem resultar em quadros mais graves e até deixar sequelas permanentes:

  • oleosidade em excesso: a pele produz oleosidade natural, em maior ou menor quantidade, conforme o organismo de cada pessoa. Em excesso, pode ser sinal de desequilíbrio hormonal, já que o organismo tenta compensar a falta de hidratação com mais sebo;
  • hiperpigmentação: o surgimento de manchas escuras, principalmente no rosto, nos braços e na barriga, pode ser sinal de hormônios desregulados. O tratamento pode ser feito com cosméticos;
  • saúde do couro cabeludo: a queda de cabelo e a caspa também podem ser sinais de falta ou excesso de hormônios, já que o couro cabelo também faz parte da pele. Acúmulo de oleosidade e ressecamento afetam a qualidade dos fios, estando diretamente ligados com a saúde do metabolismo;
  • envelhecimento precoce: linhas de expressão e rugas tendem a ficar mais visíveis com o tempo. Em peles jovens, sinais muito marcados podem ser sintomas de hormônios em desequilíbrio, combinados com pouca hidratação.